Anúncios

Security and Technology

Posts com tag “della flora

A criptografia nos mantém seguros – Por Open Rights Group | CRYPTOID

A criptografia nos mantém seguros – Por Open Rights Group Regina Tupinambá

Os políticos britânicos estão novamente pressionando as empresas de Internet para garantir que o governo possa acessar mensagens criptografadas de ponta a ponta. Pensamos em lembrá-los porque a criptografia nos mantém seguros.

1. Nossa infra-estrutura nacional depende da criptografia

Nossas centrais elétricas, sistemas de transporte, hospitais e operações militares contam com criptografia para se comunicarem com segurança. Eles precisam de criptografia para que possam enviar e receber informações seguras ​​e confiáveis. Sem isso, nossa infraestrutura nacional seria imensamente mais suscetível a ataques de outros países, hackers não-estatais e criminosos.

2. Nossa economia depende da criptografia

Nossos bancos, bolsas de valores, sistemas de pagamento e lojas também precisam ser capazes de enviar e receber informações confiáveis ​​sem criminosos ou agências de inteligência de poderes estrangeiros interceptando ou manipulando a transação. Precisamos estar confiantes de que quando pagamos por algo nossos dados são seguros. Nossa economia depende dessa confiança e essa confiança é possível graças à criptografia.

3. Nossa imprensa livre depende da criptografia

Quando as fontes contatam os jornalistas com informações confidenciais sobre as despesas dos deputados, os papéis do Panamá ou os arquivos de Snowden, eles dependem da criptografia para se certificar de que podem publicar. As fontes podem usar comunicações criptografadas para passar evidências de corrupção e abuso aos jornalistas de uma maneira segura. O que nos ajuda a manter-nos informados é a nossa imprensa livre.

4. A nossa segurança online depende da encriptação

Quase todos os principais web site da web começa com HTTPS – manter a ligação entre o seu computador e que o site criptografado. A criptografia impede que alguém espionagem em seu uso da web e interceptar seus nomes de usuário e senhas quando você está em uma cafeteria.

5. A segurança dos nossos dispositivos depende da criptografia

Depois de criptografar seu laptop , tablet ou telefone, se alguém colocar as mãos no dispositivo bloqueado ou desligado, eles precisarão de sua senha para descriptografar e acessar os dados. Isso impede que os ladrões roubem seu telefone e acessem seus e-mails, contatos e textos.

Participe do ORGJunte-se ao ORG!

O post A criptografia nos mantém seguros – Por Open Rights Group apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2nLSvjC http://ift.tt/2aM8QhC

Anúncios

How to Make People Click on a Dangerous Links Despite their Security Awareness

Messages containing links to malware-infected…
[[ This is a content summary only. Visit my website for full links, other content, and more! ]] http://ift.tt/2nA8UHx http://ift.tt/2aM8QhC

Migrar para o digital significa reduzir custos – Por Roni Franco | CRYPTOID

Migrar para o digital significa reduzir custos – Por Roni Franco Regina Tupinambá

Tempo é dinheiro. Nunca essa afirmação fez tanto sentindo quanto neste momento. Mais do que nunca o sonho das empresas, das micro até as de maior porte, é fazer com que os processos internos e com fornecedores, clientes e parceiros sejam realizados rapidamente e com eficiência. Cada segundo vale. Cada minuto conta. Mas o que elas estão fazendo para tornar esse sonho realidade?

Roni de Oliveira Franco | Diretor da Certisign

Por Roni de Oliveira Franco*

A verdade é que grande parte das empresas adotam rotinas burocráticas, acostumam-se com os processos e seguem sem pensar no que poderia ser feito para mudar o cenário e conquistar um dia a dia mais produtivo e menos custoso. A expressão mudança assusta e muitas vezes assombra os tomadores de decisão, porque vem acompanhada de uma outra palavra: custo, quando na verdade, o correto seria pensar em investimento.

Investir em tecnologia é uma boa alternativa às empresas que precisam melhorar a eficiência operacional, reduzindo ou mantendo o mesmo orçamento. A Certificação Digital, por exemplo, não exige investimento alto e permite migrar processos físicos para o digital, como o de assinatura de documentos. E isso inclui: contratos, aprovações, folha de ponto, recibos de férias e qualquer outro arquivo eletrônico que exija a comprovação da autenticidade. Isso é possível porque a cada uso do Certificado Digital é gerada uma assinatura digital com o mesmo valor jurídico da manuscrita, assegurado pela legislação brasileira.

Vamos aos benefícios: processos realizados no meio eletrônico são mais ágeis e menos custosos, porque eliminam a necessidade do uso do papel e também várias etapas como a de manuseio, armazenamento e deslocamentos para a o transporte de documentos.

Adotando a Certificação Digital, o departamento de compras de uma empresa pode ter um pedido aprovado de milhões de reais pelo presidente, que está no Japão, por exemplo. Os processos não param. O signatário só precisa acessar o portal de assinaturas ou o próprio sistema da companhia, que pode estar integrado à tecnologia, localizar o documento e assiná-lo usando o Certificado Digital. Vale dizer que o Certificado pode ser armazenado em token, computador, cartão criptográfico ou em dispositivos móveis, celular ou tablet, por meio da versão mobileID.

O Certificado Digital é um velho conhecido das corporações de todos os portes e pode ser usado para outras aplicações, além do cumprimento das obrigações com o governo. Trata-se de uma excelente ferramenta de gestão, que, se usada com toda sua potencialidade, pode transformar empresas.

*Roni de Oliveira Franco é diretor Administrativo da Certisign.

O post Migrar para o digital significa reduzir custos – Por Roni Franco apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2ogAdoL http://ift.tt/2aM8QhC


Lava-Jato: delação premiada revela como esquema de Sérgio Cabral usava criptografia | CRYPTOID

Lava-Jato: delação premiada revela como esquema de Sérgio Cabral usava criptografia Regina Tupinambá

Envolvidos no esquema de propina no Rio de Janeiro usavam meios tecnológicos para se comunicar, incluindo mensagens criptografadas no extinto MSN. Documentos da Operação Lava-Jato mostram como o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), acusado de comandar o esquema, e outros participantes, usavam essas ferramentas e truques.

Esses detalhes vieram à tona graças à Operação Eficiência, deflagrada em janeiro. Segundo o jornal O Globo, Chebar revelou contas de propina onde estavam escondidos US$ 101 milhões (cerca de R$ 340 milhões).

O MSN era usado para a comunicação entre Marcelo Chebar e Vinícius Claret, o “Juca Bala”, doleiro que enviava dinheiro para o exterior sob orientação de Cabral. Inicialmente, Chebar, que revelou o esquema em delação premiada, era o responsável pelo envio do dinheiro, até a eleição de Cabral para governador do RJ. Após ocupação do novo cargo, os valores aumentaram, por isso o serviço foi terceirizado.

Toda a comunicação pelo MSN era criptografada com a ajuda do plugin que usa o protocolo OTR (Off-the-Record Messaging). Para que isso fosse possível, eles usaram o Pidgin, um cliente não-oficial que permitia conversar através do MSN e ainda usar a ferramenta de OTF.

Abaixo, você vê como as mensagens criptografadas aparecem para quem tentar ler.

Segundo o relato de Chebar, a sugestão de aproveitar o recurso de criptografia com o Pidgin veio do próprio “Juca”, que era responsável por fechar a taxa de câmbio do valor que Chebar recebia de Cabral em reais.

Outro truque era se comunicar por meio de textos que nunca eram enviados por e-mail. Uma conta foi criada (cazaalta@gmail.com), e nela tudo era guardado na pasta de rascunhos. Assim, outros envolvidos que tinham acesso à conta, poderiam ler as mensagens e fazer upload de arquivos sem correr o risco de serem interceptadas pelo servidor.

Eles não baixavam os arquivos para o HD, mas criptografia também era usada para “esconder” esses conteúdos, como planilhas de Excel, que eram usadas para o controle de pagamentos e recebimentos. Os arquivos eram guardados em um pendrive e o software Steganos Safe se encarregava de esconder tudo com senha.

Além de criptografar os arquivos, o Steganos criava uma partição escondida nesses pendrives. Após o uso, os acessórios eram destruídos.

Essas informações vieram à tona pela Operação Eficiência, em janeiro deste ano, na mesma ocasião em que o empresário Eike Batista foi preso sob acusação de pagar propina ao ex-governador Sérgio Cabral. Os irmãos Chebar apontaram as contas onde os R$ 340 milhões, que seriam de Cabral, Wilson Carlos e Carlos Miranda, estavam guardados.

Desse valor, R$ 250 milhões foram repatriados e servirão para pagar o décimo terceiro atrasado de aposentados e pensionistas no RJ.

Fonte: tudocelular.com

O post Lava-Jato: delação premiada revela como esquema de Sérgio Cabral usava criptografia apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2nzUEhP http://ift.tt/2aM8QhC


Após ataque, Londres amplia a pressão contra utilização de criptografia | CRYPTOID

Após ataque, Londres amplia a pressão contra utilização de criptografia Regina Tupinambá

Amber Rudd, secretária do Interior do Reino Unido

Parte do movimento mundial contra a tecnologia de criptografia que bloqueia o acesso às mensagens privadas, tanto de criminosos quanto de usuários comuns, as autoridades do governo Britânico vão se reunir com empresas de tecnologias americanas.

Amber Rudd, secretária do Interior do Reino Unido, pediu mais ação da UE para combater o extremismo on-line, como ela aumenta a pressão sobre as empresas de tecnologia para tornar mais difícil para os terroristas para usar a internet.

Ao encontrar-se com os seus pares europeus em Bruxelas, a secretária-geral reiterou a sua mensagem de que as empresas da Internet precisavam ser mais proativas nos esforços de combate ao terrorismo

Foi agendada para esta quinta-feira uma reunião com o serviço de mensagens instantâneas de propriedade do Facebook depois que Amber Rudd declarou ainda que os órgãos de inteligência do país devem ter acesso nas mensagens codificadas mandadas pelo WhatsApp.

O atentado em Londres, em que Khalid Masoo esfaqueou e atropelou com um carro vários pedestres, reforçou a tese dos legisladores dos governos americano e europeus de que é necessário que mensagens atualmente criptografadas possam ser acessadas pelos órgãos de inteligência para inibir ações terroristas.

Depois de vários ataques terroristas na Europa e em outros lugares, os legisladores e reguladores europeus e americanos defendem a tese de que as empresas do Vale do Silício contribuam para conter e evitar as potenciais ameaças terroristas.

Ainda este mês, o ministro alemão, Heiko Maas, declarou que apresentará uma nova legislação que pode multar as empresas de tecnologia como Facebook, Twitter e YouTube em cerca de US$ 50 milhões se elas não colaborarem com o governos em investigações de natureza de segurança nacional.

As autoridades britânicas, entretanto, estão dando um passo além. Ao exigir que as agências de inteligência possam ler mensagens criptografadas, Rudd reitera antigos planos de ganhar mais controle sobre os serviços digitais.

No ano passado, o país aprovou uma lei que dá à polícia mais poderes para fazer com que as empresas de telecomunicações e tecnologia entreguem informações digital relativa a operações de inteligência. A lei também exige que as companhias de telecomunicações abram os protocolos de criptografia, quando possível, para auxiliar em inquéritos terroristas, sempre que possível.

Jim Killock

Nos EUA, as autoridades fizeram pedidos semelhantes. Faz 2 anos, o FBI pediu que a Apple destrave o Iphone utilizado por um de os atacantes que mataram 14 pessoas em San Bernardino, em a Califórnia A Apple resistiu, e mais tarde o FBI declarou que encontrou uma forma de destravar o telefone sem a assistência da companhia.

As empresas tecnológicas declaram que não podem entregar esse tipo informação porque a mensagen usam criptografia de ponta a ponta.

Já para Jim Killock de uma organização britânica de direitos civis declarou:

“Obrigar as companhias a colocar entradas dos fundos em serviços de criptografia tornaria milhões de pessoas menos seguras on-line”.

“Todos dependemos da criptografia para proteger nossa habilidade de nos comunicar, fazer compras e transações bancárias em segurança

” Jim Killock é diretor-executivo do Open Rights Group.

O post Após ataque, Londres amplia a pressão contra utilização de criptografia apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2o6FMJ4 http://ift.tt/2aM8QhC


20º Hangout – Gadgets Malignos para ˜Hackers do Bem˜ – Jullio Della Flora

20º Hangout – Gadgets Malignos para “Hackers do Bem” – Jullio Della Flora ##### PARCEIROS ######## [ 4YOUSTART ] Inovação e qualidade aliadas para levar até você o melhor que a internet pode oferecer! Nossa missão está completamente ligada ao nosso compromisso de atendimento ao cliente. Trazer o suporte mais rápido e eficiente do mercado aliado ao melhor serviço é o nosso lema! http://www.4youstart.com [ MOZAK ] Uma equipe jovem, experiente e talentosa, que oferece alta qualidade em soluções web personalizadas e exclusivas. O melhor custo benefício do mercado para que você e sua empresa atinjam o sucesso, seja lá qual for o seu negócio. Um dos nossos diferenciais é a colaboração participativa, onde o cliente tem total acesso ao seu projeto no decorrer do desenvolvimento e faz indicação de qual diretriz seguir. https://goo.gl/E8Q3Ao (Trabalhos realizados ) https://youtu.be/FhwLZ6cSai8 https://www.youtube.com/watch?v=FhwLZ6cSai8&feature=youtu.be http://ift.tt/2aM8QhC

[Segurança] Novo golpe de engenharia social assusta clientes bancários brasileiros

Recentemente eu tenho ouvido relatos de diversos colegas sobre uma nova modalidade de fraude bancária, baseada em engenharia social – histórias que também ouvi de outros colegas que trabalham em alguns bancos. Resumindo o ciber criminoso liga para a vítima se passando pelo área de fraude do seu banco, tenta obter a senha do cliente para, em seguida, realizar a fraude verdadeira. Tudo começa http://ift.tt/2o8NwuB http://ift.tt/2aM8QhC