Memorial do Judiciário recebe documentos sobre primeiro Cartório Digital do Brasil | CRYPTOID

Memorial do Judiciário recebe documentos sobre primeiro Cartório Digital do Brasil Regina Tupinambá

O Memorial do Judiciário ampliou o seu acervo ao receber, nessa terça-feira, 27/6, documentos relativos ao estabelecimento do primeiro Cartório Digital do Brasil.

O idealizador do software S-DOC, o Tabelião-Substituto do 1º Tabelionato de Notas de Porto Alegre, Ayrton Bernardes Carvalho Filho, repassou ao Coordenador do Memorial, Desembargador José Carlos Teixeira Giorgis, o registro do programa de computador junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual.

Tabelião Substituto (E) e seu pai entregaram o documento ao Des. Giorgis (C), Coordenador do Memorial do Judiciário (Foto: Mário Salgado)

Na sequência, houve a assinatura do termo de doação do material, que ainda inclui um pen-drive com informação sobre o cartório digital e revista de tiragem nacional que traz matéria sobre a iniciativa do tabelionato gaúcho.

Acompanharam o ato o titular do Tabelionato, Ayrton Bernardes Carvalho e integrantes da SafeWeb, empresa de certificação digital desenvolvedora da tecnologia.

Após o recebimento, o Desembargador Giorgis elogiou a iniciativa de virtualização pelo seu pioneirismo e expressou “regozijo e honra” pela escolha de confiança com o Memorial do Judiciário para abrigar os documentos. Falou ainda de como a tecnologia e a comunicação tornaram-se elementos imprescindíveis no cotidiano das atividades humanas, facilitando-as.

Na atividade cartorária há 30 anos, Ayrton Bernardes Carvalho Filho contou que o S-DOC foi implantado há cerca de um ano no 1º Tabelionato de Notas da capital, permitindo prestar serviços de reconhecimentos de firma, autenticação de cópias e atas notariais, tudo digitalmente.

De posse de uma certificação digital (cartão com chip), explicou o criador do programa, o solicitante pode assinar digitalmente o documento desejado de qualquer lugar, para, em seguida, o tabelião de notas proceder o reconhecimento de firmas digital e autenticação.

Apaixonado por tecnologia, Ayrton lamentou a dificuldade com que ideias nesse campo são aceitas no Judiciário e no notariado brasileiro, apesar de o país possuir legislação permitindo a assinatura digital com validade jurídica desde 2001.

No entanto, salientou o trabalho da Corregedoria-Geral da Justiça:“Tive sorte, pois aqui no Rio Grande do Sul, diferentemente de outros estados da federação, existem normas técnicas emanadas da nossa egrégia Corregedoria-Geral da Justiça, que permitem ao tabelião de notas lavrar, conservar e preservar atos notariais eletrônicos baseados em certificação digital”. No RS, estimou o Ayrton, são em torno de 600 tabelionatos de notas.

Fonte: Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul

Por Márcio Daudt

O post Memorial do Judiciário recebe documentos sobre primeiro Cartório Digital do Brasil apareceu primeiro em CRYPTOID.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s