MCTIC está presente na Campus Party #CPBR10 | CRYPTOID

MCTIC está presente na Campus Party #CPBR10 Regina Tupinambá

Inclusão digital | Estande do MCTIC vai expor programas da pasta como o Brasil Mais TI e o Cidades Inteligentes, e vai identificar projetos inovadores que poderão ser apoiados. Evento em São Paulo (SP) terá 750 horas de atividades em seis dias

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) marca presença a partir desta terça-feira (31) na Campus Party, um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do mundo. Realizado até domingo (5) no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo (SP), o evento deve atrair mais de 120 mil pessoas e ter 750 horas de atividades, distribuídos por nove palcos temáticos. O MCTIC terá um estande na área aberta, a Open Campus, e participa de diversas mesas de debate.

O espaço do ministério será multiuso e contará com um ciclo de palestras e a divulgação de ações do ministério e das entidades vinculadas. Técnicos estarão à disposição do público para prestar orientações e identificar potenciais projetos inovadores que poderão ser apoiados pelo MCTIC. Sete programas da pasta serão divulgados.

O Brasil Mais TI oferece capacitação gratuita em tecnologia da informação (TI) para jovens do país;

O Start-Up Brasil apoia empresas nascentes de base tecnológica;

O Sistema de Registro Nacional de Emissões (Sirene) disponibiliza informações online sobre emissões dos gases causadores do efeito estufa;

Cidades Inteligentes leva a municípios uma rede de fibra óptica que conecta órgãos públicos e oferece pontos públicos de acesso gratuito à internet;

A plataforma Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) divulga dados sobre a fauna e a flora brasileiras já catalogada;

A Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia (IBN) objetiva integrar as ações governamentais para o desenvolvimento científico e tecnológico da nanotecnologia;

E os Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs) atendem jovens carentes com cursos e oficinas para reabilitação de equipamentos eletrônicos.

Na arena Campus Party, o espaço fechado do evento, o MCTIC participa do lançamento dos Indicadores de Cidades Inteligentes e Humanas, iniciativa que classifica as cidades de forma que os gestores públicos tenham uma estratégia adequada para modernizar os serviços municipais.

Em outro painel, a mesa de debates demonstra, com exemplos de pequenos negócios que utilizam a tecnologia, como o início de uma cidade inteligente pode ser de forma simples.

Especialistas convidados pelo MCTIC também participam de palestras sobre nanotecnologia, super ímãs de terras raras, a quarta revolução industrial e veículos híbridos, movidos a energia elétrica e hidrogênio.

Fonte: MCTIC

O post MCTIC está presente na Campus Party #CPBR10 apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2knw7vE http://ift.tt/2aM8QhC

Epic Fail: Linux Encryption App, Cryptkeeper, Has Universal Password “p”

Epic Fail: Linux Encryption App, Cryptkeeper, Has Universal Password “p”

Short Bytes: Cryptkeeper is a popular Linux encryption application that’s used to encrypt your valuable data. But, it’s not as safe as you think. A bug has was recently discovered that allows universal decryption using a single letter password “p.” Debian developer Simon McVittie has advised the dev team to take it out of Debian altogether. ncryption apps […]

The post Epic Fail: Linux Encryption App, Cryptkeeper, Has Universal Password “p” appeared first on Fossbytes. http://ift.tt/2kMhcZo http://ift.tt/2aM8QhC

Empresas precisam reavaliar estratégias de segurança, afirma Cisco

Empresas precisam reavaliar estratégias de segurança, afirma Cisco Para estar seguro é necessário cada vez mais saber como a empresa está vulnerável e reduzir as portas de entradas de ataques. Você não pode se defender de ameaças que não aborda http://ift.tt/eA8V8J http://ift.tt/2knmxJx http://ift.tt/2aM8QhC

As tecnologias antifraude que irão dominar em 2017 | CRYPTOID

As tecnologias antifraude que irão dominar em 2017 Regina Tupinambá

Técnicas de Machine Learning e substituição de senhas via SMS por biometria são algumas das tendências de ações antifraude previstas para 2017 como

David Lopez | Easy Solutions

Por David Lopez

O ambiente de fraude muda constantemente, e, em 2017, não será diferente. Para a Easy Solutions, empresa especializada em segurança, novas ameaças entrarão em cena e muitos dos ataques descobertos em 2016 irão se intensificar. Para isso, espera-se a adoção cada vez maior de tecnologias de autenticação, técnicas de machine learning e ferramentas probabilísticas com a implementação de abordagens sistemáticas de segurança da informação e combate à fraude.

Teorias como Ciclo OODA (Observar, Orientar, Decidir e Agir), Cyber Kill Chain e Controle Reflexivo podem guiar o planejamento eficaz de estratégias de gestão e medição de risco e, também, auxiliar a implementação de controles efetivos. Veja quais são as novas tendências tecnológicas antifraude esperadas para 2017.

Técnicas de Machine Learning irão superar os sistemas de regras – De acordo com estudos e lançamentos dos principais fornecedores, as técnicas de machine learning têm superado os sistemas tradicionais, como os de regras. A comercialização de ferramentas sofisticadas de machine learning/deep learning estimula o avanço dessa tendência. Bancos de todos os tipos ampliarão a adoção de sistemas de inteligência artificial e investirão em equipes de ciência de dados. Bancos menores buscarão fornecedores que ofereçam soluções apoiadas em IA.

Instituições financeiras de todo o mundo se voltarão para a análise de dados transacionais e identificação passiva de riscos – Nas instituições financeiras dos EUA há um forte interesse na avaliação do risco associado às sessões dos usuários como maneira de reforçar a segurança sem causar atrito com os clientes. A identificação passiva de riscos será uma das principais tendências em 2017 e ajudará a elevar o nível de satisfação dos usuários bancários.

Entra a biometria, saem as senhas via SMS – Em 2017, a tecnologia da autenticação passará a ser considerada uma necessidade. Consequentemente, os códigos OTP enviados via SMS se tornarão obsoletos e irão desaparecer gradualmente.

Aumento do uso de probabilística – Listas negras podem alcançar um nível elevado de exatidão com relação a URLs conhecidas, mas, por questões de desenho, a história é diferente quando as URLs são desconhecidas. Os sistemas de previsão devem usar probabilística e padrões conhecidos de phishing para determinar, em tempo real, se as URLs devem ou não ser bloqueadas. Tais ferramentas irão redefinir a maneira como o risco é avaliado, como as ações são coordenadas e, finalmente, como o risco é reportado.

Pagamentos sem intermediários serão cada vez mais populares – Segundo Paul Wilson, gerente de Produtos da Easy Solutions, os pagamentos sem intermediários vão se intensificar em 2017. “Haverá um grande aumento, particularmente no Canadá, Austrália e Reino Unido. As transações ocorrem de maneira mais fluida e fazem com que os clientes desejem ter mais controle sobre suas despesas por meio de aplicações como notificações push, por exemplo. Comprar é fácil e a autenticação e a identificação de fraude devem ser fáceis também.”

A proteção de marca é ainda mais vital para as organizações – No primeiro trimestre de 2016, 56% das URLs de phishing continham o nome da entidade vítima. “Os cibercriminosos imitam logos, e-mails, sites e aplicativos da marca legítima, e isso não vai mudar em 2017”, explica David Lopez, diretor de Vendas da Easy Solutions LATAM. Esse tipo de abuso destrói a reputação da organização, tira a confiança do cliente e causa prejuízos financeiros. As empresas devem, então, eliminar aplicativos falsos e manter um controle rígido das redes sociais, da criação de novos domínios e dos canais de e-mail.

A fraude móvel afetará o mundo todo, especialmente a Ásia – Até pouco tempo, a barreira do idioma protegia países asiáticos como Japão, China e Coréia contra os ataques móveis que atingiram os Estados Unidos e a Europa. Mas este não é mais o caso. Masafumi Hatakeyama, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Easy Solutions para o Japão, afirma que, à medida que mais pessoas usam as plataformas de mobile banking, os criminosos aumentam seus esforços para explorar os novos canais. Hatakeyama prevê que os fraudadores usarão esquemas sofisticados para roubar dados, como o malware Acecard, e sugere que as empresas adotem também soluções para proteção móvel.

SOBRE A EASY SOLUTIONS

A Easy Solutions é um fornecedor líder, dedicado à detecção e prevenção total de fraude eletrônica em todos os dispositivos, canais e serviços na nuvem.

As atividades virtuais de mais de 85 milhões de usuários em mais de 320 empresas líderes em serviços financeiros, segurança, varejistas, linhas aéreas, entre outras, são protegidas pelos sistemas de prevenção antifraude da Easy Solutions.

O post As tecnologias antifraude que irão dominar em 2017 apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2kmQjhg http://ift.tt/2aM8QhC

OWASP Security Knowledge Framework – An expert system application that uses OWASP Application Security Verification Standard

Security Knowledge Framework is an expert system application that uses OWASP Application Security Verification Standard, code examples, helps developers in pre-development and post-development.

Introduction
Our experience taught us that the current level of security the current web-applications contain is not sufficient enough to ensure security. This is mainly because web-developers simply aren’t aware of the risks and dangers which are lurking, waiting to be exploited by hackers.
Because of this we decided to develop a proof of concept framework in order to create a guide system available for all developers so they can develop applications secure by design.
The security knowledge framework is here to support developers create secure applications. By analysing processing techniques in which the developers use to edit their data the application can link these techniques to different known vulnerabilities and give the developer feedback regarding descriptions and solutions on how to properly implement these techniques in a safe manner.
The second stage of the application is validating if the developer properly implemented different types of defence mechanisms by means of checklists with among others the OWASP Application security verification standards.
By means of the answers supplied by the developer the application again generates documentation in which it gives feedback on what defence mechanisms the developer forgot to implement and give him feedback regarding descriptions and solutions on how to properly implement these techniques in a safe manner. InstallingDocker

When Docker is available, the fastest way to start using the SKF project is using the pre-built container hosted at Docker hub.

docker run -ti -p 127.0.0.1:443:5443 blabla1337/skf-flask

The application will greet you on: https://127.0.0.1
This container always has the very latest version from the repository.Automated installation with Chef

The easiest way to use the SKF project is using the Chef cookbook that we created.
What is Chef?Chef is a configuration management and automation platform from Opscode. Chef helps you describe your infrastructure with code. Because your infrastructure is managed with code, it can be automated, tested and reproduced with ease. Check out https://www.chef.io for more information about Chef
For using the SKF chef cookbook you will need to install the 3 software products on your machine/laptop. Those are all free to use.VirtualBox

VirtualBox is a free to use Virtual Machine that can load images.

http://ift.tt/A3GHNF

Chef Development Kit

Chef Development Kit is a free to use tooling for testing and running cookbooks created with chef.

http://ift.tt/1zPiGFb

Vagrant

Vagrant is has pre-build images ready to use for stable and fast development

http://ift.tt/1lKufc2

When you have installed the above software you are now able to create a VirtualBox image with Vagrant configuration and using Chef to configure the SKF application. The SKF chef cookbook will do this all for you and you only need to follow the steps below on your machine/laptop.

cd ~/wget http://ift.tt/2jqnl0m master.zipcd owasp-skf-chef-masterkitchen converge default

Now you have to wait a few minutes and watch the magic happen! ^^ When the Chef run has completed (—–> Kitchen is finished!) the application is ready to use. When you will start the VirtualBox GUI you can see the cookbook created a new VB image that is running and holding the SKF application.
The application will greet you on: https://192.168.33.118
Below are some useful Kitchen 101 commands.

# All the below commands should be run in the SKF chef directory# Command for creating the VM with the SKF projectkitchen converge default# Command for login to the VM with the SKF projectkitchen login default# Command for detroying the VM with the SKF projectkitchen destroy

AWS installation
A CloudFormation template is provided to make it easy to set up the Security Knowledge Framework in AWS. For more information consult the README in the cloudformation directory .Ubuntu manual installation

To run SKF you need Python pip and sqlite3 database support.

On 64-bit platform: sudo apt-get install python-pip sqlite3 lib32z1-dev python-dev libxml2-dev libxslt-dev libffi-dev libssl-dev On 32-bit platform: sudo apt-get install python-pip sqlite3 zlib1g-dev python-dev libxml2-dev libxslt-dev libffi-dev libssl-dev

After the prerequisites you can install the Python packages.

sudo pip install http://ift.tt/1RTozIH sudo pip install owasp-skf

Now you can start the program by opening the folder (e.g. /opt/owasp-skf/) and run:

python skf.py

Windows manual installation

Download and install Python 2.7.9
Run below commands in cmd (As Administrator):

C:\Python27\Scripts\pip.exe install http://ift.tt/1RTozIH C:\Python27\Scripts\pip.exe install owasp-skf

Now you can start the program by opening the folder and run the skf.py file:

cd C:\Python27\Lib\site-packages\skf C:\Python27\python.exe skf.py

Mac OSX manual installation

The first step is to install brew

ruby -e “$(curl -fsSL http://ift.tt/YQTuQh)”

After installing brew you can now install sqllite3

brew install python-pip sqlite3

Now we install python pip

sudo easy_install pip

After the prerequisites you can install the Python packages.

sudo pip install http://ift.tt/1RTozIH sudo pip install owasp-skf

Now you can start the program by opening the folder (e.g. /opt/owasp-skf/) and run:

sudo python skf.py

Ubuntu Apache WSGI Setup (manual installation)

To run the OWASP-SKF as a service (SaaS) you can hook it up to your existing webservers using the WSGI module.
First do the normal owasp-skf installation. User that is installing this software is foobar, change foobar for your own user

apt-get install git apache2 libapache2-mod-wsgi sudo a2enmod wsgi cd /home/foobar git clone http://ift.tt/2jR2dg4

Now disable SSL settings, we want Apache to do this
Edit the file file: /home/foobar/skf-flask/skf/skf.py

Change line: app.run(host=bindaddr, port=5443, ssl_context=’adhoc’) to: app.run(host=bindaddr, port=5443)

Now we can edit the configuration file of Apache
Edit the following file and add this below the virtualHost config for port 80 /etc/apache2/sites-enabled/000-default.conf

WSGIRestrictStdout Off Listen 5443 WSGIDaemonProcess skf user=www-data group=www-data threads=5 WSGIScriptAlias / /home/foobar/skf-flask/skf/skf.wsgi WSGIProcessGroup skf WSGIApplicationGroup %{GLOBAL} Order deny,allow Allow from all Require all granted

Now edit the configuration file of WSGI
Edit the following file: /etc/apache2/mods-enabled/wsgi.conf Add below inside the if_module of mod_wsgi:

SetHandler wsgi-script # Deny access to compiled binaries # You should not serve these to anyone Order Deny,Allow Deny from all

Create the WSGI file so it can be loaded by Apache
Create new skf.py file: /home/foobar/skf-flask/skf/skf.wsgi

import sys, os sys.path.insert (0,’/home/foobar/skf-flask/skf’) os.chdir(“/home/foobar/skf-flask/skf”) from skf import app as application

The final step:

chmod +x /home/foobar/skf-flask/skf/skf.py chown -R www-data:www-data /home/foobar/skf-flask sudo service apache2 restart

The application can be visited at port http://the_ip_/:5443 Also now you can apply your favourite Apache SSL/TLS settings. Usage
For more detailed information such as user guides and other documentation see:

Readme: extended documentation

Development

Fork and clone http://ift.tt/2dbgJek

pip install -r requirements.txt

cd skf && python ./skf.py

Create your changes commit and open a PR from your fork to the master repo

Scrum BoardWaffle.io:http://ift.tt/2jR1paN TestingTravis-ci.org:

Test and Deploy with Confidence. Easily sync your GitHub projects with Travis CI and you’ll be testing your code in minutes!SKF Build details:

http://ift.tt/2kciUTX:

DELIVER BETTER CODE. We help developers deliver code confidently by showing which parts of your code aren’t covered by your test suite.SKF Coveralls details:

http://ift.tt/2jqy22W:

Why to use Scrutinizer. Improve code quality and find bugs before they hit production with our continuous inspection platform. Improve Code Quality.SKF Scrutinizer details:

http://ift.tt/2kcuCy2:

Monitor HTTP(s), Ping, Port and check Keywords. Get alerted via e-mail, SMS, Twitter, web-hooks or push. View uptime, downtime and response times.

ssllabs.com & sslbadge.org:

ssllabs.org:Bringing you the best SSL/TLS and PKI testing tools and documentation.sslbadge.org:Creates a nice badge for your website SSL/TLS security settings based on the Qualys SSL Labs testing.

Contributors

Glenn ten Cate

Riccardo ten Cate

Alexander Kaasjager

John Haley

Daniel Paulus

Erik de Kuijper

Roderick Schaefer

Jim Manico

Martijn Gijsberti Hodenpijl

Bithin Alangot

Martin Knobloch

Adam Fisher

Tom Wirschell

Joerg Stephan

Simon Brakhane

Gerco Grandia

Ross Nanopoulos

Bob van den Heuvel

Mariano

Download OWASP Security Knowledge Framework http://ift.tt/2kmOMrD http://ift.tt/2aM8QhC

#CPBR10 | Começa hoje a 10ª edição da Campus Party Brasil | CRYPTOID

#CPBR10 | Começa hoje a 10ª edição da Campus Party Brasil Regina Tupinambá

Com ingressos esgotados, #CPBR10 espera receber mais de 80 mil visitantes e 8 mil campuseiros nos cinco dias do evento

São Paulo, 31 de janeiro de 2017 – Começa hoje no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a 10ª edição da Campus Party Brasil. O maior evento de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo ocorre até 5 de fevereiro promovendo debates sobre novas tecnologias, ciência e as mudanças que as próximas gerações enfrentarão. Além disso, em parceria com o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), a CPBR10 realizará este ano o The Big Hackathon, um desafio com 100 horas de duração que tem o objetivo de desenvolver soluções tecnológicas para os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU, e também fomentar o empreendedorismo inovador

Com seis dias de duração, o evento receberá cerca de 90 mil visitantes, sendo 8 mil campuseiros, que terão acesso a mais de 700 horas de conteúdo e atividades que acontecerão praticamente 24 horas por dia. Além disso, o público poderá usufruir de uma internet com velocidade de 40GBps.

A #CPBR10 ocupa os três pavilhões do Anhembi, ficando em uma área de 77,7 mil m² onde ficam instalados sete palcos – Entretenimento, Criatividade (Design e Mídias Sociais), Empreendedorismo, Inovação, Ciência e o Principal e outros dois palcos que contarão com as palestras sugeridas pelos campuseiros por meio da campanha – Vire um curador.

“Um dos grandes objetivos dessa edição é nos aproximarmos dos campuseiros criando uma verdadeira comunidade. Para isso criamos duas campanhas na internet uma que estimulava os campuseros a mandarem vídeos para nós contando com a Campus Party mudou a vida deles e outra que era para eles justamente sugerirem palestras e conteúdos para essa décima edição. O resultado dessas duas campanhas foi surpreendente o que mostrou que estamos no caminho certo para fazer dessa uma edição inesquecível para todos”, conta Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party Brasil.

Uma novidade dentro da Arena é a Academia Gamer, espaço destinado para que os campuseiros aprendam técnicas e dicas de jogos com atletas e profissionais. “Sabemos que os e-sports estão conquistando um público cada vez maior no Brasil e, por isso, não poderíamos deixar de separar um espaço exclusivo para eles”, explica Tonico.

Hackathons

Este ano a CPBR terá alguns desafios, entre eles o The Big Hackathon que ocorrerá em parceria com o PNUD com o objetivo de desenvolver soluções tecnológicas para 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pelo Programa das Nações Unidas. Uma comissão organizadora, formada por especialistas em hackathon e um grupo de curadores, será responsável pela escolha dos candidatos que já se inscreveram e montagem dos times. Mentores e especialistas de faculdades e do Sebrae também farão parte da equipe da Campus para auxiliar os participantes.

Open Campus

A área aberta e gratuita da CPBR funcionará entre 1 e 4 de fevereiro, das 10h às 20h. No espaço os visitantes poderão interagir com 14 simuladores, acompanhar a famosa Batalha dos Robôs, assistir ao primeiro Campeonato Brasileiro de Drones para profissionais, além de conhecer protótipos de trabalhos acadêmicos e startups com ideias inovadoras. Uma novidade da área é o Espaço Fazedores onde makers ensinarão diversas habilidades construtivas como solda e marcenaria, por exemplo.

Todas as palestras também poderão ser acompanhadas no site Campuse.ro via streaming e após o final do evento, as mesmas ficarão hospedadas no mesmo site.

Para mais informações sobre a agenda do evento, acesse: http://ift.tt/1lWxbEd.

Serviço:Campus Party Brasil 2017De 31 de janeiro a 5 de fevereiro de 2017
Pavilhão de Exposições Anhembi
São Paulo- SP

Nossos parceiros

Como nas edições anteriores, a Campus Party Brasil conta com apoiadores e patrocinadores que viabilizam a estrutura oferecida para que os campuseiros e visitantes possam imergir na tecnologia durante cinco dias. Até o momento os seguintes parceiros já figuram na CPBR10:

Diamond: Telebras, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação e HighWinds

Platinum: Visa

Sobre a Campus Party:

A Campus Party é a maior experiência tecnológica do mundo. Realizada desde 1997, reúne jovens geeks em um festival de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e universo digital. Desde a sua primeira edição, na Espanha, encontrou um público tão entusiasmado que cresceu e se internacionalizou passando a ter, a partir de 2008, edições no Brasil, Inglaterra, Alemanha, Colômbia, México Equador e El Salvador. Em 2016, a Campus Party Brasil realizou sua nona edição em São Paulo com mais de 82 mil visitantes, 8 mil campuseiros vindos de 24 Estados brasileiros. Ao longo de uma semana, os participantes ficaram instalados em mais de 6,5 mil barracas e contaram com uma internet de 40 gigabytes para aproveitar mais de 700 horas de atividades e conteúdos. Neste ano também foi realizada a Campus Party Recife, que chegou a sua quinta edição no último mês de julho reunindo mais 2,5 mil campuseiros. Brasília e Minas Gerais também receberam o evento pela primeira vez esse ano.

A Campus Party é uma realização da MCI, empresa global de produção de eventos, gestão de associações e organização de congressos, com sede em Genebra (Suíça), e fundada em 1987. A MCI possui 60 escritórios, espalhados em 31 países entre Europa, América, Ásia-Pacífico, Índia, Oriente Médio e África. No Brasil, a MCI foi constituída em 2009 e conta com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

O post #CPBR10 | Começa hoje a 10ª edição da Campus Party Brasil apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2kmI9pk http://ift.tt/2aM8QhC

#CPBR10 | Começa hoje a 10ª edição da Campus Party Brasil | CRYPTOID

#CPBR10 | Começa hoje a 10ª edição da Campus Party Brasil Regina Tupinambá

Com ingressos esgotados, #CPBR10 espera receber mais de 80 mil visitantes e 8 mil campuseiros nos cinco dias do evento

São Paulo, 31 de janeiro de 2017 – Começa hoje no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a 10ª edição da Campus Party Brasil. O maior evento de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo ocorre até 5 de fevereiro promovendo debates sobre novas tecnologias, ciência e as mudanças que as próximas gerações enfrentarão. Além disso, em parceria com o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), a CPBR10 realizará este ano o The Big Hackathon, um desafio com 100 horas de duração que tem o objetivo de desenvolver soluções tecnológicas para os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU, e também fomentar o empreendedorismo inovador

Com seis dias de duração, o evento receberá cerca de 90 mil visitantes, sendo 8 mil campuseiros, que terão acesso a mais de 700 horas de conteúdo e atividades que acontecerão praticamente 24 horas por dia. Além disso, o público poderá usufruir de uma internet com velocidade de 40GBps.

A #CPBR10 ocupa os três pavilhões do Anhembi, ficando em uma área de 77,7 mil m² onde ficam instalados sete palcos – Entretenimento, Criatividade (Design e Mídias Sociais), Empreendedorismo, Inovação, Ciência e o Principal e outros dois palcos que contarão com as palestras sugeridas pelos campuseiros por meio da campanha – Vire um curador.

“Um dos grandes objetivos dessa edição é nos aproximarmos dos campuseiros criando uma verdadeira comunidade. Para isso criamos duas campanhas na internet uma que estimulava os campuseros a mandarem vídeos para nós contando com a Campus Party mudou a vida deles e outra que era para eles justamente sugerirem palestras e conteúdos para essa décima edição. O resultado dessas duas campanhas foi surpreendente o que mostrou que estamos no caminho certo para fazer dessa uma edição inesquecível para todos”, conta Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party Brasil.

Uma novidade dentro da Arena é a Academia Gamer, espaço destinado para que os campuseiros aprendam técnicas e dicas de jogos com atletas e profissionais. “Sabemos que os e-sports estão conquistando um público cada vez maior no Brasil e, por isso, não poderíamos deixar de separar um espaço exclusivo para eles”, explica Tonico.

Hackathons

Este ano a CPBR terá alguns desafios, entre eles o The Big Hackathon que ocorrerá em parceria com o PNUD com o objetivo de desenvolver soluções tecnológicas para 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pelo Programa das Nações Unidas. Uma comissão organizadora, formada por especialistas em hackathon e um grupo de curadores, será responsável pela escolha dos candidatos que já se inscreveram e montagem dos times. Mentores e especialistas de faculdades e do Sebrae também farão parte da equipe da Campus para auxiliar os participantes.

Open Campus

A área aberta e gratuita da CPBR funcionará entre 1 e 4 de fevereiro, das 10h às 20h. No espaço os visitantes poderão interagir com 14 simuladores, acompanhar a famosa Batalha dos Robôs, assistir ao primeiro Campeonato Brasileiro de Drones para profissionais, além de conhecer protótipos de trabalhos acadêmicos e startups com ideias inovadoras. Uma novidade da área é o Espaço Fazedores onde makers ensinarão diversas habilidades construtivas como solda e marcenaria, por exemplo.

Todas as palestras também poderão ser acompanhadas no site Campuse.ro via streaming e após o final do evento, as mesmas ficarão hospedadas no mesmo site.

Para mais informações sobre a agenda do evento, acesse: http://ift.tt/1lWxbEd.

Serviço:Campus Party Brasil 2017De 31 de janeiro a 5 de fevereiro de 2017
Pavilhão de Exposições Anhembi
São Paulo- SP

Nossos parceiros

Como nas edições anteriores, a Campus Party Brasil conta com apoiadores e patrocinadores que viabilizam a estrutura oferecida para que os campuseiros e visitantes possam imergir na tecnologia durante cinco dias. Até o momento os seguintes parceiros já figuram na CPBR10:

Diamond: Telebras, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação e HighWinds

Platinum: Visa

Sobre a Campus Party:

A Campus Party é a maior experiência tecnológica do mundo. Realizada desde 1997, reúne jovens geeks em um festival de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e universo digital. Desde a sua primeira edição, na Espanha, encontrou um público tão entusiasmado que cresceu e se internacionalizou passando a ter, a partir de 2008, edições no Brasil, Inglaterra, Alemanha, Colômbia, México Equador e El Salvador. Em 2016, a Campus Party Brasil realizou sua nona edição em São Paulo com mais de 82 mil visitantes, 8 mil campuseiros vindos de 24 Estados brasileiros. Ao longo de uma semana, os participantes ficaram instalados em mais de 6,5 mil barracas e contaram com uma internet de 40 gigabytes para aproveitar mais de 700 horas de atividades e conteúdos. Neste ano também foi realizada a Campus Party Recife, que chegou a sua quinta edição no último mês de julho reunindo mais 2,5 mil campuseiros. Brasília e Minas Gerais também receberam o evento pela primeira vez esse ano.

A Campus Party é uma realização da MCI, empresa global de produção de eventos, gestão de associações e organização de congressos, com sede em Genebra (Suíça), e fundada em 1987. A MCI possui 60 escritórios, espalhados em 31 países entre Europa, América, Ásia-Pacífico, Índia, Oriente Médio e África. No Brasil, a MCI foi constituída em 2009 e conta com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

O post #CPBR10 | Começa hoje a 10ª edição da Campus Party Brasil apareceu primeiro em CRYPTOID. http://ift.tt/2kmI9pk http://ift.tt/2aM8QhC